20170415 181333

A Vida Acontece Para Ti…

Hoje na minha meditação matinal tive uma surpresa interessante.
Algo me disse
“ A vida acontece para ti e não a ti”…
A maior parte de nós vive na corda bamba e acha que não tem controlo nenhum nos acontecimentos.
Eu acredito profundamente que somos nós os criadores da nossa realidade.
Tenho um amigo que se chama Pedro Alcobia que fez um workshop “living from the end”.
Embora entenda e subscreva o sentido que ele dá à sua tese, prefiro viver para o presente, estando presente.
A maior parte de nós (incluído eu durante demasiado tempo) vive no limbo da mente e do pensamento…
Já repararam como somos viciados em pensar?
Todos falam no vicio da comida, da droga, do álcool, do sexo (o meu favorito)…
E o vicio do pensamento?
Naquilo que vai acontecer, no que aconteceu, no que acontece…Porquê nós, porque serão assim? Porquê?
O que é suficiente, o que não é? Será que estamos aproveitar o momento?
São perguntas feitas pela nossa essência ou pelo nosso macaquinho interior?
Passamos a vida querer racionalizar tudo com a nossa mente e não aproveitamos o momento, a existência presente. Estamos demasiado ocupados com o pensamento…
Vivemos alucinados pelo que não temos, não tendo noção que perseguimos a cauda?
Perseguir a cauda? Se preferires, podes fazer a analogia do burro e da cenoura…
Colocamos a cenoura à frente do burro e passamos a puta da vida a perseguir a cenoura…
E será que é produtivo… É verdade que coloca o burro em andamento…Mas a que preço?
Achamos piada à cena do burro…mas será que estamos tão longe disso?
A maior parte de nós anda em busca das cenouras da vida…quando finalmente alcançamos a cenoura…
mal damos valor à cenoura e passamos logo de seguida em busca de outra cenoura que nos ponha em ação.
A vida é feita de objetivos…mas porque corremos atrás deles? ~
O que procuramos sentir e atingir com as nossas vitórias?
Reconhecimento? Exaltação do Ego? Porque lutamos para conquistar?
A maior parte das pessoas busca algo em que não acredita…
Temos sonhos, mas raramente apanhamos o autocarro…
Com medo…
Porque achamos que não vai acontecer connosco…porque sabemos que somos resilientes? No entanto, que seria bom demais para acontecer?…
E se acontecer?…E se tu tiveres a cenoura na mão e não precisares de a seguir?
Se soubesses que não poderias falhar o destino…
Irias relaxar com certeza…E qual é o problema de comprar o bilhete e deixar as coisas no piloto automático…
Saber o que se quer e o que não se quer é essencial….
Mas será que entras no autocarro para o Porto e estarás todo o caminho a duvidar se o autocarro vai lá chegar?
Ou estás sossegado, a usufruir da tua viagem, enquanto o autocarro segue o destino?
Quando digo a vida acontece para ti…É apenas isso…
Nos biliões de universos existentes, tu tens o teu próprio Universo, onde tu és o Único do Verso…
Tens uma unicidade com a tua existência (prefiro uniqueza nas não existe).
És o Criado e o Criador da tua prosa…do teu Verso, do Teu Universo…
Por isso quando quiseres criar, imaginar, querer…Planeia bem onde queres ir…Foca-te onde queres chegar…
Imagina o autocarro que apanhas para lá chegar…Age de forma consistente e sistemática rumo a cada parcela da tua viagem…
Mas goza a viagem…Não coloques em causa o condutor…Porque acredita…existe um condutor que contra todas as marés irá levar-te ao destino final…
A fé é isso…sabermos que vamos ter desafios para enfrentar…mas sabemos lá no fundo que no final vamos chegar ao nosso destino…
Tendes que ter objetivos…
São eles que definem o que queres que aconteça na próxima página…
Mas relaxa…Aproveita o dádiva do presente, estando presente a cada instante, a cada momento…Não mines o trabalho do condutor…Limita-te a agir em prol dos teus obetivos…Ação massiva…Acredita que vai chegar o teu dia…Acredita que o piloto está no automático e que sabe o destino final…
Não duvides jamais do destino que já te pertence…
Aproveita a viagem dos teus sonhos…
Mal ou bem irás chegar ao teu destino..
Relaxa…”Enjoy the ride wiith joy..”.
A vida irá acontecer sempre para nós e não a nós…
Pensa nisso…
Bom fim de semana.
Abraço
Vive com paixão e determinação. O poder é teu.
O teu amigo e Parceiro

This Post Has 2 Comments

  1. Bom artigo. É bem verdade que nos deixamos amedrontar.. Mas tambem é tanta desgraça à nossa volta que temos medo de dar um passo que seja, em falta. Continua a escrever

    1. Obrigado Claudio…Por vezes temos que fechar a nossa mente ao que nos rodeia e seguir o instinto. A sociedade diz-nos que devemos pensar antes de agir mas nas verdade a racionalização faz com que percamos aquele elo que nos liga ao nosso intimo mais profundo…O nosso Ego retira-nos da nossa verdadeira essência e racionaliza tudo de acordo com as nossas crenças limitativas…Eu mesmo todos os dias sou bombardeado por aquilo que o Eckart Tole fala de “corpo de dor”…Existe uma essência em nós que está indexada com o drama das nossas vidas…Que não quer outra coisa do que novelas e histórias sobre tudo o que sentimos e pensamos…Só tendo consciência desssa dramatização das nossas vidas e do que nos rodeia, poderemos ouvir o nosso verdadeiro eu interior que está cá para nos servir…Só que criamos bloqueios (o medo por exemplo), bem como justificacões para os mesmos levando à procrastinação. A melhor forma de não nos deixarmos “amedrontar” é termos a noção dessas vozes e mandá-las á “fava” :-)…focando-nos na gratidão, nas coisas boas, nas memórias boas que nos fazem viver a vida duma forma mais plena e confiante…mesmo quando as coisas não correm da melhor forma…é passando a barreira do medo que descobrimos as melhores paisagens e as melhores histórias para contar…a meditação e a imaginação também ajudam é claro. abraço. obrigado pela participação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *